Pular para o conteúdo principal

PARANORMALIDADE E ESPIRITISMO

Paranormalidade e Espiritismo

Sérgio Biagi Gregório
SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Conceito. 3. Considerações Iniciais. 4. Parapsicologia: 4.1. Normalidade e Paranormalidade; 4.2. Da Psicologia à Parapsicologia; 4.3. Compreendendo Através de um Exemplo. 5. Paranormalidade: 5.1. Objeto da Parapsicologia; 5.2. A Função Psi; 5.3. Avaliação Quantitativa da "Função Psi". 6. Paranormalidade e Mediuinidade: 6.1. Denominações Acerca da Mediunidade; 6.2. Função Psi Comparada; 6.3. Quanto ao Recebimento Financeiro. 7. Conclusão. 8. Bibliografia Consultada.
1. INTRODUÇÃO
O que se entende por paranormalidade? E normalidade? De onde surgiu este termo? Que relação há entre a paranormalidade e a parapsicologia? Paranormalidade e mediunidade são a mesma coisa? Paranormal é sinônimo de médium? É facultado ao espírita cobrar por uma consulta mediúnica?
2. CONCEITO
Normalidade – Considera-se fenômeno normal todo acontecimento cujo mecanismo causal eficiente se enquadra no conjunto das leis que admitimos governarem os processos da natureza.
Paranormalidade – É o objeto de estudo da parapsicologia. Designamos por este termo todo o acontecimento "inusitado", "além do normal", ou seja, fora do conjunto dos fatos normais.Paranormal não deve ser confundido com "sobrenatural", pois a ciência rejeita a possibilidade deste último e aceita a realidade do primeiro.
3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Revista Superinteressante, de julho de 2009, publicou um artigo de capa, cujo título era "Paranormais", em que descreve as várias aplicações da paranormalidade: na policia, na medicina, no marketing... Cita o caso da americana Noreen Renier, detetive paranormal, que já participou de mais de 600 casos de investigação. Lembra o nome de Joseph McMoneagle, especialista em descobrir melhores terrenos para as companhias de mineração comprar. Relata, também, o grupo de sensitivos brasileiros, do Distrito Federal, que não tenta fazer curas, mas se diz capaz de diagnosticar doenças, tais como, câncer, enfisema, ulcera e problemas circulatórios, das quais dizem enxergar além dos limites do corpo. Em vista de os cientistas tentarem provar que telepatas e videntes não são charlatães, anotemos algumas informações sobre o tema.
4. PARAPSICOLOGIA
4.1. NORMALIDADE E PARANORMALIDADE
Normalidade é perceber o mundo através dos cinco sentidos, que são: audição, olfato, paladar, tato e visão. Tudo o que escapa a esses sentidos, a parapsicologia convencionou chamar de paranormalidade. A paranormalidade foi muito utilizada pelo Dr. Joseph Banks Rhine, da Universidade de Duke, nos Estados Unidos que, através da pesquisa quantitativa, modernizou a Metapsíquica e transformou-a na Parapsicologia. A palavra Parapsicologia pode ser desmembrada de acordo com a origem grega: pará (proximidade, paralelo, elemento acessório),psyché (alma, espírito) e logos (tratado, ciência). Paranormal é o fenômeno que ocorre paralelamente ao normal.
4.2. DA PSICOLOGIA À PARAPSICOLOGIA
Para chegarmos à Parapsicologia, partamos da Psicologia. A Psicologia, em termos do radical grego psyché, deveria ser o estudo da alma, do espírito. Mas não o é, pois o termo psychétomou o sentido de coisas da mente (raciocínio, ideia e termos afins). Por outro lado, a Psicologia foi definida como o estudo do comportamento humano. Não é o estudo da alma, do espírito. Se é difícil precisar a psyché na Psicologia, quanto mais na Parapsicologia? Osmard Andrade Faria, preocupado com a compreensão do problema, estimula-nos, em O Que é Parapsicologia, a compreender além da definição.
4.3. COMPREENDENDO ATRAVÉS DE UM EXEMPLO
Osmard parte de um exemplo: Suponha que haja uma explosão em um determinado lugar. Os que ouviram o estrondo terão várias reações: uns gritarão, outros correrão, outros ainda ficarão atônitos. O psicólogo classifica cada um dos comportamentos segundo os cânones da ciência psicológica, ou seja, enquadrá-lo-ás como: nervoso, sentimental, colérico, apaixonado, sangüíneo, fleumático, amorfo e apático. Este acontecimento é definido como o normal, o usual. Imagine agora que esta explosão pudesse ser captada sem os órgãos auditivos. Se no primeiro exemplo, o aprendizado, a motivação e o conhecimento sensorial determinam o que chamamos de comportamento NORMAL, aqui, quando se reúnem os primeiros dois elementos (aprendizado e motivação) e um conhecimento PARALELO havido por caminho diferente do habitual, surgirá um novo tipo de resposta. Este modo de ser paralelo é o chamado comportamento PARANORMAL. Este mesmo acontecimento pode ser captado por uma pessoa, a milhares de quilômetros de distância. Este fenômeno é classificado como conhecimento extra-sensorial.
Há muita dificuldade em separar a normalidade da paranormalidade, pois o ser humano não possui apenas cinco sentidos, mas dezenas e até centenas de outros sentidos, alguns ainda desconhecidos pela ciência. Nesse caso, o termo percepção extra-sensorial, largamente usado pela parapsicologia, não seria o mais adequado para descrever esses fenômenos, sendo mais conveniente usar o termo conhecimento extra-sensorial, porque uma pessoa não apenas percebe, mas trabalha a informação no cérebro, analisa, reflete, pensa e tira conclusões.
5. PARANORMALIDADE
5.1. OBJETO DA PARAPSICOLOGIA
O objeto da Parapsicologia é o estudo dos fenômenos inconscientes extranormais e dos fenômenos paranormais. Em se tratando dos paranormais, Rhine inclui todos os que não podem ser explicados sem se admitir no Homem a existência de uma faculdade espiritual, por se não deverem a nenhum tipo de energia física conhecida ou possível. De acordo com Robert Amadou, "A parapsicologia coloca em evidência o estudo experimental das funções psíquicas, ainda não incorporadas ao sistema da psicologia científica, com vistas à sua incorporação neste sistema ampliado e completado".
A parapsicologia é uma atividade de pesquisa concernente à zona fronteiriça, ainda desconhecida ou mal conhecida, que separa os estados psicológicos considerados como habituais e normais, dos estados excepcionais, ou patológicos.
5.2. A FUNÇÃO PSI
Os fenômenos paranormais foram englobados, no 1.º Congresso Internacional de Parapsicologia, na cidade de Utrecht, em 1953, sob a designação genérica de fenômenos Psi(letra grega). A palavra Psi aqui não tem qualquer relação direta com o termo grego psyché (alma), mas, unicamente, com a 23a letra do alfabeto grego. Desta forma, J. B. Rhine classificou os fenômenos de telepatia, clarividência e pré e post-coginição (P.E.S.) como função "psi-gama", a telecinesia, a teleplastia e a psicocinesia – dinamismo psíquico – como função "psi-kapa".
5.3. AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA "FUNÇÃO PSI"
Para a avaliação quantitativa da "função psi", Rhine escolheu o método estatístico combinada com o cálculo das probabilidades. Na pesquisa da função "psi-gama", Rhine elegeu como principal instrumento o baralho zener, composto de 25 cartas, divididas em 5 naipes (quadrado, ondas, estrela, sinal de mais e o círculo). Para verificação da função "psi-kapa", escolheu os dados de jogar. (Andrade, 1976)
6. PARANORMALIDADE E MEDIUNIDADE
6.1. DENOMINAÇÕES ACERCA DA MEDIUNIDADE
Há muitas denominações acerca da mediunidade. Diz-se que é uma manifestação dos poderes cerebrais do homem; é uma eclosão dos resíduos animais de percepção sem controle de órgãos sensoriais específicos; é uma energia ainda desconhecida do córtex cerebral, mas evidentemente física; é um despertar de novas energias psicobiológicas do homem, no limiar da era cósmica; é o produto do inconsciente excitado; é uma forma ainda não estudada da sugestão hipnótica. Allan Kardec denominou-a simplesmente de uma faculdade humana. Em outras palavras, mediunidade é uma faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos. (Pires, 1984)
6.2. FUNÇÃO PSI COMPARADA
Para a parapsicologia, os dados paranormais pertencem às funções "psi-gama" ou "psi-kapa". Para o Espiritismo, esses dados poderão ser perfeitamente enquadrados nos conceitos de fenômeno anímico e fenômeno mediúnico. A telepatia, a clarividência e a premonição são fenômenos anímicos; a psicografia e a xenoglossia, fenômenos mediúnicos. Levitação e deslocamento de objetos, dados do "psi-kapa", são classificados, no Espiritismo, como fenômenos mediúnicos de efeitos físicos.
6.3. QUANTO AO RECEBIMENTO FINANCEIRO
A reportagem da Superinteressante relata que Joseph McMoneagle cobra 250 dólares por hora de trabalho, e a vidente Noreen Renier, 1.000 dólares por consulta. Para o Espiritismo, a mediunidade deve ser gratuita, pois está fundamentada na frase "dar de graça o que graça receber". O médium espírita deve ter consciência de que não é nenhum missionário na acepção da palavra, mas um Espírito bastante endividado, que reencarnou com a tarefa de redimir os seus erros do passado. Para tanto, deve encaminhar para o bem, as pessoas que houvera desviado em encarnações passadas. Cobrar por algo que não lhe pertence pode lhe trazer conseqüências funestas, inclusive com a perda da própria mediunidade.
7. CONCLUSÃO
"Ao que muito foi dado, muito será exigido, e mais lhe será acrescentado", diz o Evangelho. Se, pela misericórdia divina, fomos bafejados pela luz de verdade, convém, para o nosso próprio bem, expandir este clarão para os demais seres humanos.
8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
ANDRADE, H. G. Parapsicologia Experimental. 2. ed. São Paulo: Boa Nova, 1976.
FARIA, Osmard Andrade. O Que é Parapsicologia. São Paulo: Abril Cultural, 1985. (Coleção Primeiros Passos, 27)
PIRES, J. H. Mediunidade (Vida e Comunicação) - Conceituação, da Mediunidade e Análise Geral dos seus Problemas Atuais. 5. ed. São Paulo: Edicel, 1984.
Revista Superinteressante, julho de 2009.

São Paulo, julho de 2009 
Fonte:http://www.ceismael.com.br/artigo/paranormalidade-e-espiritismo.htm

Postagens mais visitadas deste blog

ECTOPLASMIA OU MATERIALIZAÇÃO - A EXTERIORIZAÇÃO DA SENSITIVIDADE MEDIÚNICA

ECTOPLASMIA
É a produção de ectoplasma e dos efeitos psicofísicos decorrentes de seu uso. Nome pelo qual Richet designou as materializações fantasmáticas. Meyers empregou o termo ectoplasia, mas o termo ectoplasmia já está incorporado ao vocabulário espírita. Segundo um dos maiores estudiosos dos fenômenos psíquicos no Brasil, Dr. Hernani Guimarães Andrade, entre os termos materialização ectoplasmia, ele prefere o segundo, pois significa forma modelada exteriormente ao organismo do agente plasmador. Em particular, a substância dócil à modelagem é o ectoplasma, quando se trata de um fenômeno paranormal. O fenômeno de ectoplasmia pode dividir-se em três tipos: a - A psicoplastia, quando o ectoplasma assume formas diversas devido à ação psicocinética exclusiva do médium. b - A duplicação ectoplasmática, em que o perispírito do médium serve de organizador do ectoplasma, produzindo uma réplica do médium. c - A produção de agênere ectoplasmático, na qual o médium funciona apenas como doado…

SINTOMAS DA MOVIMENTAÇÃO DE ENERGIAS NO CAMPO ENERGÉTICO HUMANO

SINTOMAS DA MOVIMENTAÇÃO DE ENERGIAS NO CAMPO ENERGÉTICO HUMANO Pessoal, abaixo trago um texto do Wagner Borges e no final farei algumas considerações dentro do mesmo assunto que acho pertinentes. Por Wagner Borges (Considerar essa relação somente quando já excluídas todas as possíveis causas, físicas ou psicológicas, para os sintomas.) 1. Agulhadas 1.1 – Negativo: Ataque obsessivo consciente, caracterizado por pontadas grossas nas regiões dos chacras. 1.2 – Positivo: Pontadas finas no duplo etérico, patrocinadas por amparadores, com o objetivo de abrir e canalizar energias para finalidades variadas, como cura ou desenvolvimento energético. 2. Apatia 2.1 – Negativo: Doentes Extrafísicos: Assimilação simpática com entidade doente psicologicamente deprimida. Vampirismo: Evasão de energias, com conseqüente perda de vitalidade. Pode ser promovido por obsessores desencarnados bem conscientes, ou até mesmo por pessoas encarnadas, consciente ou inconscientemente. 3. Ardência nos Olhos 3.1 – Positivo: P…

EXERCÍCIO DE TELEPATIA AVANÇADA : APRENDENDO A UTILIZAR A TELEPATIA

EXERCÍCIO DE TELEPATIA AVANÇADA (Para contatos extradimensionais)
Esse tipo de Telepatia só se desenvolve ao longo de algum tempo de treinamento, de persistência e de disciplina. A comunicação telepática pode vir através da transferência de sensações ou então de pensamentos ou alterações de identidade. Não é o processo tradicional de incorporação ou de mediunidade. É uma coisa bem mais sutil e mais a nível mental.
A primeira parte do exercício, você vai procurar pronunciar um mantra energético (uma palavra de poder). Esse mantra deve ser pronunciado a cada vez que energizar o chakra correspondente. O mantra é OM e a pronuncia atinge os chakras cardíaco, frontal e coronário.
    1)- Encha os pulmões de ar e expire pronunciando o mantra OM, ao mesmo tempo passe uma mão na outra.
    2)- Depois afaste as mãos a uns dois palmos de distância uma da outra e aponte a palma da mão uma para a outra, fazendo movimentos suaves e lentos. Isso vai gerar um campo magnético entre as mãos.
    3)- Depois q…