Pular para o conteúdo principal

O QUE É MEDIUNIDADE DE CURA?


O QUE É MEDIUNIDADE DE CURA?

É o tipo de mediunidade em que o médium pratica as chamadas curas espirituais ou cirurgias espirituais. Esses médiuns podem, com a ajuda direta ou indireta dos espíritos, abrir o caminho para aliviar e curar uma pessoa. Dizemos “abrir o caminho” porque ninguém pode curar alguém que não deseje ser curado ou que possua um forte carma que o obrigue a passar pelo estado de doença.
“Médiuns curadores – Os que têm o poder de curar ou de aliviar os males pela imposição das mãos ou pela prece. Esta faculdade não é essencialmente mediúnica, pois todos os verdadeiros crentes a possuem, quer sejam médiuns ou não. Freqüentemente não é mais do que a exaltação da potência magnética, fortalecida em caso de necessidade pelo concurso dos Espíritos bons” diz Allan Kardec em O Livro dos Médiuns.
Existem dois tipos principais de mediunidade de cura. A mediunidade de cura passiva e a ativa. Na mediunidade ativa os espíritos podem ser, eles mesmos, os agentes principais da cura, ou podem apenas auxiliar um processo que é conduzido ativamente pelo médium. Por exemplo, casos em que o médium doa seu magnetismo a uma pessoa e há espíritos auxiliando com uma doação extra de energia curativa tem a participação ativa do médium.
Mas o médium também pode participar passivamente, realizando aquilo que chamamos de mediunidade passiva de cura. Neste caso, ele apenas cede seu veículo físico ao espírito, que incorpora no médium, assumindo suas funções e movimentos, e o próprio espírito realiza a cura. Aqui o médium se encontra passivo e na maioria das vezes inconsciente, enquanto o espírito faz todo o trabalho.
A mediunidade de cura ativa e passiva pode ser ainda de dois tipos principais: com intervenções físicas e sem intervenções físicas. No primeiro caso, o médium incorpora um espírito que, utilizando-se de objetos físicos como facas, tesouras, agulhas, pomadas, ervas, e outros tipos de materiais, trata o atendido. A cura sem intervenção física usa apenas a incorporação do espírito com a energia curativa emanando do espírito através do médium. Tanto a intervenção física quanto a não-física podem ser chamadas de cirurgia espiritual. Existem as cirurgias espirituais físicas, com cortes e as psíquicas, ou não-físicas, que são naturalmente sem cortes.
No caso de um curador utilizar apenas a imposição de mãos para tratar um doente, esse processo não pode ser considerado mediúnico, posto que não há aí uma ação direta de nenhuma entidade, e todo o processo ocorre pela atuação do médium. Isso não significa, contudo, que os espíritos de luz não estejam agindo a partir dos planos espirituais em benefícios do doente, mas não há, neste caso, a ideia da intervenção necessária entre o médium e o espírito. Neste caso, uma pessoa que aplica um passe magnético num centro espírita não está exercendo uma função mediúnica, mas está utilizando um fluido próprio, que integra o potencial curativo do seu organismo e do seu perispírito, e transmitindo a outros.
Da mesma forma ocorre no Reiki, No Johrey, na cura prânica, na polaridade, e em outras técnicas de cura por imposição de mãos. O Reiki possui uma ligeira diferença diante de outras abordagens do gênero: a energia irradia pelas mãos do curador não pertence ao mesmo, mas é proveniente de uma fonte cósmica, de onde jorra uma energia inesgotável e sutil, que é captada pelo reikiano pela simples intenção de se impostar as mãos e transmitir a energia cósmica.
A transmissão da energia magnética não passa de um indivíduo ao outro apenas pela imposição de mãos, ela também pode ser irradiada pelo olhar, por um gesto, pela simples presença e também a distância, não importa o quão longe esteja o curador do atendido.
Existem indivíduos que tem o dom da cura, e trazem as habilidades de cura de outras existências passadas. Outros curadores, no entanto, podem receber o treinamento adequado e se tornarem curadores. O Reiki é um bom exemplo de técnica de formação de curadores. Qualquer pessoa que passe pela iniciação do primeiro grau do sistema Usui de Cura Natural pode se tornar um curador. Outros, porém, podem não precisar de nenhuma preparação, e já terem sido treinados em vidas passadas, em escolas esotéricas e treinamentos em templos da antiguidade, onde se praticavam os ritos mistéricos.
Há um terceiro caso em que um espírito, antes de encarnar, aceita a missão de ser, na Terra, um médium de cura, e para isso ele precisa apenas ser um bom veículo de expressão para que os espíritos de luz trabalhem nele, a fim de levar a cura a milhares de indivíduos e expandir a espiritualidade. Os espíritos que escolhem essa missão na maioria das vezes possuem um débito kármico considerável. Por esse motivo, a providência divina os concede a oportunidade de se tornarem canais de cura dos espíritos superiores, para que assim possam reparar uma parte, ou até mesmo a totalidade do mal que fizeram em vidas passadas.
Dizem que a mediunidade é um karma, e isso está bastante correto. Os médiuns são, muitas vezes, os maiores devedores da espiritualidade. Mas Deus, em sua infinita bondade e sabedoria, concede o instrumento da mediunidade para o resgate destes espíritos no amor e na caridade, seguindo as leis divinas e se tornando um instrumento do plano divino aliviando a dor de milhares ou centenas de milhares de espíritos em estado de sofrimento.
Uma das grandes provações do médium de cura é não se deixar levar pelas tentações do orgulho e da vaidade. Quando o médium começa a ser solicitado, admirado, requisitado, começa a ser muito falado, fica famoso e muitos começam a adorá-lo como um ídolo, seu ego pode atrapalhar sua missão, e há uma grande chance dele cair, estragar tudo e perder uma valiosíssima oportunidade de redimir seu karma e, o mais importante, ajudar pessoas e participar ativamente da obra de Deus no mundo. Há muitos médiuns de cura que caíram por sua vaidade e perderam a oportunidade de expandir ainda mais seu trabalho. Quando isso ocorre, a plêiade de espíritos que o acompanhavam em sua missão deve procurar outro veículo disponível para o mesmo tipo de trabalho.
Os médiuns de cura mais conhecidos são:
ARIGÓ: Foi o primeiro médium do Dr. Fritz. É um dos médiuns brasileiros mais famosos de todos os tempos. Ganhou notoriedade nacional e internacional graças as suas curas. Arigó era um homem muito humilde, trabalhador e muitos diziam que ele gostava muito de ajudar as pessoas e realizar suas curas. Iniciou seu trabalho mediúnico ainda no início da década de 50. Foi preso plea acusação de exercício ilegal da medicina, mas foi solto graças ao indulto recebido do próprio presidente da república na época Juscelino Kubitschek.
JOÃO BERBEL: Um médium de cura espírita que incorpora as entidades e faz cirurgias espirituais sem cortes.
JOÃO DE DEUS: Médium de Abadiânia que trabalha com cirurgias espirituais há quase 55 anos. É o médium de cura brasileiro mais antigo que ainda está em atividade. Conhecido e aclamado no mundo inteiro por suas curas. Até mesmo a apresentadora celebridade Oprah veio ao Brasil para conhecer “John of God”. Oprah dedicou um programa inteiro demonstrando o trabalho de cura do médium brasileiro. João de Deus é, na atualidade, o médium brasileiro mais conhecido no mundo.
WALDEMAR COELHO: Médium que incorpora diversas entidades de médicos do espaço. Homem muito humilde e de bom coração. Trabalha há mais de 40 anos ajudando na cura de todos que o procuram. Atende na cidade de Leme-SP.
EDSON QUEIROZ: Outro médium muito famoso do Dr. Fritz. Era médico e realizava cirurgias espirituais.
RUBENS FARIA: Também médium do Dr. Fritz. Ficou famoso realizando suas cirurgias espirituais no Rio de Janeiro no final dos anos 90. Ficou também conhecido mundialmente e depois se afastou dos holofotes. Está atualmente atendendo na Europa.
VALENTIM: Um médium também muito humilde, que não sabe ler nem escrever, e mesmo assim atrai multidões. Todas essas pessoas, muitas desenganadas pela Medicina, vem em busca da cura ministrada pelos espíritos que fazem as cirurgias espirituais por seu intermédio.  Médium Valentim atende em Gama, no Distrito Federal, e realiza mais de 5000 atendimentos por mês. Valentim incorpora mais de 60 entidades espirituais. Um deles é o Doutor Aguiar, um médico do espaço que em vida passada nasceu na Itália. Aguiar teria desencarnado durante a guerra quando trabalhava na Cruz Vermelha. O médium Valentim reúne seguidores não apenas da doutrina espírita, mas também de outras religiões, como católicos, evangélicos e outras denominações.
KLEBER ARAN: O mais famoso médium do Dr. Fritz da atualidade. Um médium humilde, também terapeuta holístico, que atende principalmente em alguns estados do nordeste do Brasil e mais recentemente em São Paulo. Médium muito aclamado pelas massas, já participou de vários programas de TV. Médium Aran atende uma média de 1000 pessoas em seus dias de atendimento.
Autor: Hugo Lapa
Tratamento Espiritual a distância com Captação Anímica.
lapapsi@gmail.com

Fonte:https://hugolapa.wordpress.com/2012/01/08/mediunidade-de-cura/

Postagens mais visitadas deste blog

ECTOPLASMIA OU MATERIALIZAÇÃO - A EXTERIORIZAÇÃO DA SENSITIVIDADE MEDIÚNICA

ECTOPLASMIA
É a produção de ectoplasma e dos efeitos psicofísicos decorrentes de seu uso. Nome pelo qual Richet designou as materializações fantasmáticas. Meyers empregou o termo ectoplasia, mas o termo ectoplasmia já está incorporado ao vocabulário espírita. Segundo um dos maiores estudiosos dos fenômenos psíquicos no Brasil, Dr. Hernani Guimarães Andrade, entre os termos materialização ectoplasmia, ele prefere o segundo, pois significa forma modelada exteriormente ao organismo do agente plasmador. Em particular, a substância dócil à modelagem é o ectoplasma, quando se trata de um fenômeno paranormal. O fenômeno de ectoplasmia pode dividir-se em três tipos: a - A psicoplastia, quando o ectoplasma assume formas diversas devido à ação psicocinética exclusiva do médium. b - A duplicação ectoplasmática, em que o perispírito do médium serve de organizador do ectoplasma, produzindo uma réplica do médium. c - A produção de agênere ectoplasmático, na qual o médium funciona apenas como doado…

OS NOMES SIMBÓLICOS DOS GUIAS DE UMBANDA

OS NOMES SIMBÓLICOS DOS GUIAS DE UMBANDA
Pesquisa Realizada por Maria de Fátima Gonçalves

Base de pesquisa “Teologia de Umbanda Sagrada” e “TRATADO GERAL DE UMBANDA”,
autor: Rubens Saraceni, Editora Madras

INTRODUÇÃO- O QUE É MISTÉRIO

Cada Guia Espiritual de Umbanda Sagrada é um iniciado no Mistério que seu nome
simboliza ou oculta.
Mistério é algo que em si mesmo traz as condições de realizar-se. Está em tudo e em
todos, como faculdade e poder ativos ou em estado potencial.
Um mistério está no princípio, no meio e no fim de tudo e de todos. Em algumas coisas,
está como qualidade intrínseca. Em outras está como qualidade extrínseca. Mas em todas as coisas está presente, ainda que não possamos identificar sua presença em nível material.
Mistério é algo que está em Deus e no que Ele criou, gerou e emanou. É algo que está
no Criador como uma de Suas faculdades e está na Sua Criação como Sua qualidade.
Exemplo: o Mistério direcionador: Em Deus, tudo é direcionado e tudo o que Ele gera
traz em si o sent…

SINTOMAS DA MOVIMENTAÇÃO DE ENERGIAS NO CAMPO ENERGÉTICO HUMANO

SINTOMAS DA MOVIMENTAÇÃO DE ENERGIAS NO CAMPO ENERGÉTICO HUMANO Pessoal, abaixo trago um texto do Wagner Borges e no final farei algumas considerações dentro do mesmo assunto que acho pertinentes. Por Wagner Borges (Considerar essa relação somente quando já excluídas todas as possíveis causas, físicas ou psicológicas, para os sintomas.) 1. Agulhadas 1.1 – Negativo: Ataque obsessivo consciente, caracterizado por pontadas grossas nas regiões dos chacras. 1.2 – Positivo: Pontadas finas no duplo etérico, patrocinadas por amparadores, com o objetivo de abrir e canalizar energias para finalidades variadas, como cura ou desenvolvimento energético. 2. Apatia 2.1 – Negativo: Doentes Extrafísicos: Assimilação simpática com entidade doente psicologicamente deprimida. Vampirismo: Evasão de energias, com conseqüente perda de vitalidade. Pode ser promovido por obsessores desencarnados bem conscientes, ou até mesmo por pessoas encarnadas, consciente ou inconscientemente. 3. Ardência nos Olhos 3.1 – Positivo: P…